Conduzir com atenção não é unicamente dirigir de forma segura; é ainda acerca de como cuidar bem do seu carro.
Por exemplo, você jamais deve sair cantando pneus e conduzir em velocidade excessiva. Isso provoca deterioração do seu motor, do sistema de direção e dos pneus, em especial quando encontrar-se fazendo muito frio ou calor e vai suscitar manutenções mais constantes.
Ao contrário, pise no acelerador um pouco menos, respeite os limites de velocidade e evite os buracos a fim de manter o seu automóvel em boa forma.
Essas e outras dicas auxiliam a conservar melhor o automóvel, continue lendo para compreender mais em relação a conservação do carro:

Faça uma ajustagem do motor ocasionalmente

motor-do-carro Nos automóveis mais modernos, a ajustagem geralmente inclui novos filtros de ar e de combustível e substituir as velas e os cabos, além de limpar o conjunto do acelerador e os bicos dos injetores de combustível; completar também o nível do fluído de transmissão.
É imprescindível ler o seu manual de usuário com o intuito de constatar a frequência correta.

Execute uma aferição da correia dentada

A correia dentada realiza a sincronização do eixo de comando de válvulas e o virabrequim. Ela geralmente necessita ser substituída a cada 60.000 a 105.000 milhas (ao redor de 95.000 a 170.000 km), no entanto não é necessário aguardar que o seu carro alcance rigorosamente esta quilometragem.
Faça a verificação da correia dentada com assiduidade, para constatar se ela ainda encontra-se em condições apropriadas de uso. Jamais aguarde que ela se desgaste. Na ocasião em que ela romper, o motor interrompe seu funcionamento.

Alinhe as suas rodas

Você deve avaliar o alinhamento das suas rodas a cada 30.000 milhas (em torno de 50.000 km), em todo o caso que você alterar componentes do conjunto de direção ou depois de adquirir novos pneus. Se não fizer isto, a sua direção será muito afetada. A direção irá ficar mais pesada e vai puxar em uma só direção. As suas rodas irão se desgastar de maneira desproporcional.

Faça manutenção da sua bateria

A bateria do seu automóvel pode não carecer de tanta importância como antes, entretanto, você ainda precisa cuidar bem dela.
Conserve-a sem sujeira, sobretudo os terminais, com a finalidade de ter segurança de que há um contato ideal com os cabos.
Aplique uma fina camada de gordura (vaselina, por exemplo) nos terminais (polos) com o intuito de protegê-los de ferrugem. Examine a bateria a fim de aferir se ela não dispõe de dilatações ou rachaduras. Talvez, se tiver, ela precisa ser trocada.

Jamais se esqueça do filtro de ar

Lembre-se de subtituir o filtro de ar a cada 10 ou 15.000 milhas (por cerca de 16.600 a 24.000 quilômetros) com a finalidade de evitar que sujeira e todos os tipos de sujeiras entrem no seu motor. Ainda por cima, um filtro de ar sujo vai reduzir a economia de combustível do seu veículo.

Substitua regularmente o óleo

oleo-do-carro O óleo do motor é demasiadamente importante: ele atua na forma de lubrificante e auxilia a diminuir a temperatura do cabeçote do seu motor.
O óleo, obrigatoriamente, fica sujo e perde a tenacidade, razão pela qual ele tem necessidade de ser trocado de tempo em tempo.
Caso você tenha comprado o seu carro nos últimos sete anos, então você não necessita seguir a indicação de substituí-lo a cada 3.000 milhas (ao redor de 5.000 quilômetros).
Olhe nesse caso no manual de uso com o propósito de seguir as orientações do fabricante.

Confira regularmente a pressão dos pneus

Nunca confie na pressão dos pneus. Faça a aferição regularmente.
Se você preservar a pressão adequada dos pneus, eles irão durar um tempo a mais e você evitará que eles se gastem de maneira desigual. A pressão adequada dos pneus irá ainda aumentar a economia de combustível do seu automóvel.

Sistema elétrico dos veículos tem carência de revisão periódica

As falhas no sistema elétrico são as razões mais comuns de problemas no veículo. Isto ocorre em razão do uso bruta do veículo, como longos engarrafamentos em estradas.
O aconselhado é que a verificação completa do sistema venha a ser feita de seis em seis meses por conta do uso em demasia dos automóveis.
Com o corre corre no decorrer do dia, fica difícil fazer esta avaliação em uma boa frequência, então se deve fazer a vistoria sempre que a bateria concluir um período, que no geral tem duração de dois anos. O alternador é peça-chave nesse sistema.
É ele que abastece os componentes eletrônicos no tempo em que o motor está em funcionamento. Além disso, gera a energia que é usada para recarregar a bateria.
Por conseguinte, na ocasião em que o problema se localiza nessa peça, a recarga da bateria resulta em problemas, abalando todo o sistema.

Dirigir o automóvel com pouco combustível tem probabilidade de ocasionar danos a ele

pouco-combustivel A bomba de combustível sofre com o pouco combustível. Por ficar dentro do próprio tanque, ela utiliza o líquido do combustível como meio de resfriamento.
Se o tanque estiver quase no fim, a bomba não tem fluído refrigerante suficiente para o resfriamento e podendo acarretar um superaquecimento. Outro problema que pode ser causado por conta da pouca quantidade de combustível no tanque é a entrada de impureza na bomba.
A sujeira do combustível fica depositada no fundo do tanque, através da decantação. Uma vez utilizado o combustível da parte final da guarnição, as sujeiras tem a probabilidade de virem junto e serem enviadas para o motor, ocasionando falhas. Para evitar sofrimento, estabeleça que a quantidade de ¼ é o mínimo. Abasteça cada vez que o marcador apontar esse nível e fique com um problema a menos.

Furo no escapamento é capaz de ocasionar falhas e acréscimo no consumo

Além de mais barulho para seus ouvidos e para os outros condutores, rodar com carro com furo no escapamento pode provocar falhas e inclusive aumento do consumo de combustível. O funcionamento dos motores atuais são influenciados pela chamada taxa de contra-pressão dos gases, ou seja, o a quantia dos gases ao quais saem através do sistema de exaustão dos veículos. Se alguma parte do escapamento está danificada, sejam os canos ou os silenciadores, ocorre uma variação nessa taxa. A mudança pode ocasionar alterações nos motores, principalmente falhas quando encontrar-se em marcha lenta, o que resulta na elevação do consumo de combustível. O que mais fica danificado é o silenciador da parte traseira por ficar mais longe do calor do motor e, por isso, retém mais água.

Quer conservar melhor o carro?
Avalie esta postagem
Categorias: Carros

Deixe uma resposta